Energia

A Comgás melhora sua rede para levar gás encanado a todos

Com 17.000 quilômetros de rede de distribuição que cobre quase um terço do PIB brasileiro, a COMGÁS investe em busca da universalização do acesso ao gás natural

Postado dia 18/11/2020 por BRUNO TORANZO
A Comgás melhora sua rede para levar gás encanado a todos

Nelson Roseira Gomes Neto, presidente da holding que controla a Comgás: rede renovada / Foto: Germano Lüders

Maior distribuidora de gás natural canalizado do Brasil, a Comgás investiu no ano passado 899 milhões de reais na expansão do seu negócio. Parte desses recursos foi destinada à renovação dos mais de 17.000 quilômetros de rede de distribuição de gás natural. As tubulações estão distribuídas em sua área de concessão, formada pelas regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas, além da Baixada Santista e do Vale do Paraíba. Os 177 municípios atendidos respondem por 26% do PIB do país. A empresa concluiu em 2019 a substituição da rede de ferro fundido pela de polietileno, o que permitirá reduzir os custos de manutenção e, portanto, gerar um impacto financeiro positivo.

“Ganhamos dinheiro distribuindo moléculas de gás. Somos remunerados por levar a molécula de gás de um determinado ponto até a casa, o comércio ou a indústria do cliente”, diz Nelson Roseira Gomes Neto, presidente da Compass Gás e Energia, a holding que controla a Comgás. Por isso, baratear o custo de manutenção da rede, assim como da distribuição, é vital para a companhia. Alguns anos atrás, para fazer a conexão de uma residência, eram necessárias três visitas – uma para checar se a rede estava perto, outra para demonstrar ao cliente por onde a tubulação passaria e, por fim, a última para realizar a obra. Hoje, com o mapeamento digital da rede, apenas uma visita é suficiente. De 2013 para cá, essa dinâmica permitiu uma queda de 6% ao ano nos custos operacionais.

Todos os anos, mil quilômetros de rede são construídos – uma média diária de cerca de seis quilômetros. A rede nova já conta com a tecnologia de georreferenciamento. “Consigo localizar com quase 100% de precisão a área que recebeu a rede. As informações ficam armazenadas na nuvem e podem ser acessadas com facilidade”, diz Gomes Neto.

Essas novas tubulações atendem à estratégia da companhia – e aos anseios do governo do estado de São Paulo – de promover a universalização do acesso ao gás natural. Somente no ano passado, mais de 100.000 clientes foram adicionados à rede. O plano de investimento aprovado no ano passado pela Arsesp, a agência reguladora de saneamento e energia estadual, com validade de cinco anos, continua priorizando a inclusão de pessoas físicas e jurídicas. Para isso, 4 bilhões de reais serão investidos até 2024 – quase o dobro do último ciclo.

Na pandemia, com o isolamento social, as visitas ao cliente pelos gasistas, profissionais que fazem o atendimento presencial, foram reduzidas ao essencial. A empresa ativou o plano de continuidade da operação para assegurar que não faltasse gás. Nesse período, notou um comportamento nos consumidores residenciais que representa uma oportunidade de negócio. “Quem tem botijão se deu conta da inconveniência de comprar e receber gás todos os meses. O gás encanado, uma vez instalado, oferece conforto, praticidade e segurança”, diz Gomes Neto.

O que pode estimular a preferência pelo gás encanado é a redução do preço. A Nova Lei do Gás, que tramita no Congresso Nacional, deve diminuir o preço da energia proveniente dessa matriz por meio do estímulo à competição. “Caso o novo marco regulatório seja aprovado, o mercado de gás natural deixará de ser concentrado e vertical, com a Petrobras como principal produtora, única comercializadora e detentora de quase toda infraestrutura, para promover a concorrência, com o estímulo à chegada de competidores advindos da iniciativa privada”, analisa Rivaldo Moreira Neto, CEO da consultoria Gas Energy, especializada em gás natural.

Sobre a mudança da legislação, Gomes Neto diz que a Nova Lei do Gás não altera a dinâmica da distribuição. Em sua visão, a proposta é positiva para a Comgás porque tem potencial de elevar o volume distribuído pela empresa. Com a redução dos preços praticados no mercado, deve haver crescimento da contratação de gás natural, aumentando a distribuição.